Facebook

Livros Dogma Trinitário (Michel Fares Breidi)

Dogma Trinitário
Dogma Trinitário
Michel Fares Breidi
R$ 19,90


Opções de Compra:

PAYPALL (Cartão ou Boleto)



DEPÓSITO EM CONTA BANCÁRIA (CLIQUE AQUI)

Veja aqui os pontos oficiais de Vendas

Sinopse:
Sobre o autor:



O autor Michel Fares Breidi nasceu em Beirute, no Líbano, onde estudou teologia na escola eclesiasticística para formação religiosa do arcebispado de Beirute e foi ordenado Diácono no mosteiro de São Miguel Arcanjo em Baskenta, Monte Líbano. No Brasil obteve equivalência do curso de Teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção, onde recebeu o título de bacharel em Teologia. O livro Uma interpretação iconográfica do dogma trinitário foi, a princípio, seu trabalho de conclusão de curso.



Sobre o livro:



Através de uma linguagem simples e objetiva, o autor introduz o leitor em um tema importante para o cristianismo ortodoxo: o dogma trinitário expresso pelo ícone da Santíssima Trindade de Andrei Rublev. A arte sagrada dos ícones, quem é e como vive um iconógrafo, características do ícone de Rublev são alguns dos tópicos abordados pelo autor para mostrar como a teologia trinitária flui através do ícone de Rublev.

Andrei Rublev foi canonizado como santo em 1988 e seu ícone da Santíssima Trindade (escrito em cerca de 1410) atualmente encontra-se na Galeria Tretyakov, em Moscou. Foi inspirado em um ícone anterior chamado A hospitalidade de Abraão, que ilustra o capítulo 18 do livro de Gênesis. Porém, Rublev retirou as figuras de Sarah e Abraão da cena para dar ênfase ao mistério da Santíssima Trindade. Para fazer isso, o iconógrafo utilizou uma composição cheia de simbolismos que o autor do livro, Michel Fares Breide, apresenta de maneira clara e precisa.

Muitas pessoas pensam que para ser iconógrafo basta aplicar o estilo bizantino em suas composições. Enganam-se. Como o próprio autor enfatiza, a composição do ícone é um processo ritualístico. Aliás, um ícone não é desenhado ou pintado, mas escrito pois trata-se de uma imagem que transmite muitas informações. O ícone não é uma obra de arte autônoma, com finalidade puramente decorativa ou subjetiva, mas um objeto sagrado de culto religioso. Por isso, o iconógrafo não pode prescindir de uma formação religiosa e nem se abster de um processo de purificação espiritual para a composição do ícone, com orações, reflexões, contemplações, confissão, entre outros. Ele não expressa sua subjetividade ou pratica experimentos técnicos em arte, mas cria um canal de reflexão e inspiração religiosas. Inclusive ele nem assina o ícone que escreveu, justamente por não se tratar de expressão subjetiva ou de uma exploração de sua criatividade com formas e cores. Até mesmo as tintas utilizadas não podem ser sintéticas, mas produzidas através de pigmentos naturais.

Apesar de ser um livro de 73 páginas, Uma interpretação iconográfica do dogma trinitário é uma obra muito preciosa, que chama a atenção do leitor e o conscientiza sobre a sacralidade do ícone. Uma obra que não for produzida de acordo com as regras para a produção do ícone pode ser considerada uma forma de arte sacra, mas não um ícone segundo os padrões da Igreja Ortodoxa. Por esta razão, os ícones de Andrei Rublev são considerados o ideal da iconografia ortodoxa: o iconógrafo combina um ascetismo elevado à harmonia clássica do estilo bizantino.


Outras Informações:
Idioma:Português
Ano:2015
Código de Barras:9788569261001
ISBN:978-85-69261-00-1
Número de páginas:73